Escolha uma Página

A águia não despreza o que é simples e essencial, e busca excelência nas ações.

A águia tem a capacidade de enxergar cinco vezes mais que a média de um ser humano – seria como enxergar uma formiga do 10º  andar de um prédio. O globo ocular da águia funciona como uma câmera de alta resolução, levando a imagem ao cérebro de forma muito nítida, com cores mais vivas do que nós seres humanos podemos enxergar.

Mas no que isso se aplica a nós? Podemos desenvolver essa visão? Como?

Sim, podemos desenvolver essa visão, transformar nosso mindset (modelos mentais) e mudar a forma de ver as coisas. O ser humano da  era moderna desenvolveu uma mentalidade muito preguiçosa, enxergando apenas o que está diante de seus olhos. Nos tornamos a geração microondas, instantânea. Ao apertar um botão, em segundos tenho o que quero.

1 Excelência nas ações

Em minha carreira,  ao supervisionar estagiários e jovens aprendizes, observei a falta de paciência em se submeterem a tarefas simples, rotineiras, em  aprender o básico e essencial. A maioria quer seguir para a próxima etapa, sem ter a base necessária da fase anterior.

A visão de águia não despreza o que é simples e essencial, e busca a excelência nas ações. Como a  águia enxerga de longe algo minúsculo como a formiga, somos capazes de enxergar grandes oportunidades nas coisas mais simples.

2 Foco e oportunidade

Ao iniciar  a faculdade de Administração em 2005,  eu atuei como recepcionista em uma pequena escola de música. A maioria dos estudantes do meu curso trabalhavam em grandes multinacionais, bancos e empresas renomadas. Nos primeiros meses me senti um tanto inferior e comecei a procurar emprego em empresas maiores, mas, esbarrava na ausência de  experiência. Claro que no primeiro momento fiquei desanimada.

Nesse momento, aprendi a desenvolver a visão de águia e  observar várias oportunidades de melhoria no trabalho. Haviam problemas no atendimento, nas vendas e principalmente nos procedimentos internos. Comecei a elaborar propostas, desenvolver planilhas de organização do atendimento, formulários para padronização de processos, além de ser extremamente curiosa para aprender a função de quem estava  no administrativo.

3 Organização e planejamento

Os resultados apareceram rapidamente, enquanto transformava meu trabalho em um laboratório de experiências da faculdade. Ao sentir prazer com  meu trabalho, desenvolvi o pensamento de administradora. Todo o aprendizado da faculdade no período noturno, era transformado em projetos, apresentado ao diretor e aplicado no trabalho. Às vezes eu nem conseguia dormir de tão animada com as possibilidades.

As propostas, sempre bem estruturadas e argumentadas, apresentavam melhorias para a empresa e quase sempre eram aceitas de imediato. Algumas levaram algum tempo, como o sistema de Gestão Empresarial (ERP), mas todas foram implementadas.

Em  oito meses de empresa, surgiu a oportunidade de trabalhar no financeiro, um desafio para quem tinha apenas 18 anos. Mesmo sem experiência, já no primeiro ano, me posicionei como administradora da escola, responsável por todas as áreas (financeiro, compras, recursos humanos, etc).

4 Profissionalismo

A escola de música era uma empresa familiar, fundada há 20 anos, na cidade de Blumenau-SC. Não havia tratamento profissional no modo de administrar, tudo era executado de forma simples e informal. O forte da empresa eram os diretores, grandes músicos conhecidos  na região.

 Durante sete anos profissionalizamos toda a empresa. Para o contrato de professores passamos a  exigir formação acadêmica em música, atraindo profissionais de outros estados, subsidiados pela escola nos primeiros meses até se estabelecerem na cidade. Era algo inédito no ramo, contratamos cerca de 20 professores.

Fez parte dos meus projetos o desenvolvimento da área de Gestão de Pessoas, com recrutamento e seleção profissional, padronizado por meio de  testes e avaliações. Além de todo suporte e treinamento após a contratação do profissional, toda a escola era capacitada para oferecer o melhor serviço. Também criei a área de coordenação pedagógica.

Em todo lugar onde você colocar profissionalismo o trabalho começa a aparecer.

5 Transformação

Uma das metas que estabeleci era validar  os cursos pelo Ministério da Educação (MEC), desenvolver projetos para Organizações não Governamentais (Ongs) e diversos projetos sociais, que se tornaram referência. A transformação da comunidade por meio dos projetos, incentivou a fundação do Instituto de Produção Cultural FreeStudio.

Me especializei em captação de recursos por meio da Lei Rouanet, que direciona receitas do imposto de renda para a desenvolvimento cultural. E aí foi o grande salto da escola! Os projetos passaram a ser aprovados pelo Ministério da Cultura. Contratamos profissionais especializados na captação desses recursos, algo grandioso para o quem nós éramos como escola até então.

Com uma visão de águia você consegue gerar transformação por onde você passa.

6 Resultados

Em plena expansão, no último ano de trabalho na escola, desenvolvi o meu maior projeto junto a um empreendedor em sistemas, tão jovem e ousado quanto eu (até meu diretor duvidava ser possível). O Sistema de Gestão Integrado (ERP) voltado para todas as áreas da escola.

Quando entrei, a escola atendia em média 300 alunos, ao sair já alcançava em cerca de  600 alunos. Atualmente, o instituto atende mais de 1000 alunos, em diversas cidades da região e até fora do estado de Santa Catarina.

Se você desenvolver a excelência em tudo o que você faz, ser focado e aproveitar as oportunidades a sua volta, que muitos desprezam, ser organizado e fazer seu planejamento, se posicionar como profissional tenha certeza que a transformação e os resultados irão te acompanhar por onde você passar.

7 Mindset

Por experiência própria, falo sobre ter uma visão de águia e desenvolver um novo mindset, para enxergar  o que ninguém vê. Após ser contratada por minhas habilidades em vendas e atendimento, entendi todo potencial daquela pequena empresa familiar, mesmo em meio a  crise de não conseguir um emprego em uma multinacional, como eu achava que seria o melhor.

Decidi ser a melhor profissional que podia. No início muitos professores me diziam que era loucura profissionalizar uma escola de música, que isso não cabia na cultura da empresa. Mas, simplesmente não ouvi e segui adiante, mesmo sem a menor experiência.

Ao longo dos anos, surgiram muitas oportunidades de trabalho, mas eu estava completamente satisfeita. Cheguei a dormir dentro da escola em dias de eventos para não perder o tempo do trajeto, por morar longe. Eram dias de muito trabalho, mas de muita diversão. Nessa época, também prestava consultoria empresarial para outras escolas de música parceiras e empresas de outros setores, além de lecionar em cursos profissionalizantes.

8 Novos voos

Com o coração apertado, após sete anos, decidi alçar voos em organizações maiores e me especializar em Gestão de Pessoas. Para o desenvolvimento de  carreira que havia traçado era extremamente importante esse salto, mas confesso que doeu sair. Recebi homenagens e fui honrada em minha saída, tenho um carinho enorme por eles e eles por mim.

Saiba o momento de deixar o lugar confortável para partir para o próximo passo e alçar voos maiores, por mais difícil que possa parecer. O profissional de sucesso tem visão de águia.

Confira abaixo o site do instituto e depoimento do diretor.

http://www.vivamusica.org.br/site/o-instituto/

 “A Alexsandra é uma daquelas pessoas que trazem o sucesso no seu DNA. Ela domina ferramentas necessárias para transformar pessoas. Organizou e simplificou os controles e fluxos operacionais da nossa empresa. Uniu e fortaleceu o time. Nos instigou a superações inimagináveis. Nos convenceu que é possível e vale a pena continuar. Nos ajudou a criar uma empresa saudável, com pessoas felizes.”

Marwin Friesen

CEO da FreeStudio – Escola de Música

Diretor do Instituto de Produção Cultural FreeStudio.